Como o Tabagismo pode Comprometer a Qualidade de Vida

Como o Tabagismo pode Comprometer a Qualidade de Vida

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabagismo é a principal causa de morte evitável do mundo. Estima-se que quase 40% da população adulta realize essa prática, que consiste na dependência psicológica no consumo de tabaco contido no cigarro. O hábito de fumar é bastante nocivo para saúde porque os componentes do cigarro, que são inalados pela fumaça, são extremamente tóxicos. Esses componentes são: monóxido de carbono, amônia, formaldeído, arsênio, níquel, cádmio, chumbo, entre outros. São cerca de 4.700 substâncias tóxicas em cada tragada.

A substância mais conhecida e muito temida é a nicotina porque provoca grande dependência. Ao ser inalada a nicotina altera o Sistema Nervoso Central, modificando o estado emocional e o comportamento do ser humano. Ela ativa neurotransmissores que fazem o fumante sentir a sensação de prazer quando fuma. O uso continuado faz o cérebro adaptar-se a essa sensação de prazer e precisar de doses cada vez maiores para manter-se satisfeito, o resultado é o aumento do uso e, consequentemente, da dependência. O monóxido de carbono, como já citamos, é bastante nocivo porque combina com a hemoglobina (a responsável por transportar o oxigênio) e compromete a oxigenação do sangue. Nessa mesma linha temos o alcatrão, que contém produtos cancerígenos como polônio, chumbo e arsênio.

Todos esses produtos, quando penetram o corpo humano causam consequências gravíssimas para a qualidade de vida do indivíduo. Dessa forma, o tabagismo pode danificar diversas áreas do corpo. Contribui para doenças cerebrovasculares (como o derrame), a circulação sanguínea fica comprometida devido a pressão arterial e a frequência cardíaca ficarem aceleradas, tornando o fumante mais propenso a infartos. Além disso, o cigarro prejudica o sistema respiratório, causa problemas bucais e impotência sexual.

Contudo, não costuma ser mencionado o efeito devastador que o tabagismo pode causar no sistema digestivo. Há uma preocupação em relação a um agrotóxico chamado DDT, que já foi encontrado no cigarro, que irrita as paredes do estômago e pode causar náuseas. Essas substâncias tóxicas do cigarro ao serem digeridas e metabolizadas pelo estômago podem gerar gastrite, úlceras e até câncer. Conforme o estômago, outros órgãos do sistema digestivo como fígado, pâncreas, vesícula, boca, esófago, intestino delgado, intestino grosso, resto e ânus também podem vir a ser afetados.

O mais tenebroso é que esse hábito aumenta muito o risco de câncer na boca, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, cólon e reto. Ademais, o fumo acaba enfraquecendo o esfíncter interior do esôfago (responsável por prevenir a volta do conteúdo estomacal para o esôfago) tornando assim a pessoa mais propensa a ter azia proveniente da volta ao esôfago do suco estomacal. E não para por aí, também aumenta os riscos de pancreatite, que é a inflamação do pâncreas, assim como contribui para o refluxo gastresofágico, úlceras pépticas, doença de Chron e cálculos biliares. Os malefícios são os mais variados, ele ainda induz a produção de ácido clorídrico (um componente do suco gástrico) e facilita infecções pelas bactérias H. pylori, responsáveis pela úlcera gástrica.

Um grande mito que algumas pessoas acreditam é que fumar após as refeições ajuda na digestão. Pelo contrário, a nicotina provoca a diminuição da contração do estômago.

Conclui-se que fumar é um fator de risco para muitas doenças e coloca o indivíduo mais distante de alcançar uma boa qualidade de vida. Logo, os fumantes são bem mais propensos a desenvolver doenças graves, tendo em vista dados como o fato de 90% dos casos de câncer de pulmão estarem ligados ao fumo.

Portanto, mesmo que a prática seja difícil de ser abandonada e o indivíduo ter até abstinência, se faz imprescindível a interrupção do uso.

O sistema digestivo é responsável por entrar em contato com as substâncias que ingerimos absorvê-las e eliminá-las. Dessa forma, é preciso tomar bastante cuidado com o que consumimos e como nosso corpo vai reagir a essa absorção. Além de abandonar o consumo do cigarro é preciso colaborar com o bom funcionamento do organismo e consequentemente com uma melhor qualidade de vida, a filosofia May Kur oferece uma alternativa para quem quer limpar e alcalinizar o corpo. Ao utilizar produtos como o Pó Básico e o Sal amargo, combinados com uma dieta moderada é possível alcançar melhoras significativas.

Isso se dá porque a filosofia May Kur colabora com a ideia de que o organismo é idealmente alcalino e o ser humano, com a ingestão de alimentos com substâncias ácidas, vão contrariamente a essa condição.

Portanto, é necessário tentar mudar essa situação danosa e a combinação dos fatores anteriormente citados pode trazer resultados bem positivos, como emagrecimento, perda de gordura abdominal, melhora justamente nos casos de gastrite, úlcera e esofagite que o cigarro tanto prejudica e até maior disposição. Basta força de vontade e persistência para buscar hábitos que tragam uma vida saudável.

2017-03-03T08:58:46+00:00 3 março, 2017|Destaque, Saúde|0 Comments

Leave A Comment